segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

PARÁGRAFO INDUTIVO

COMO ELABORAR UM PARÁGRAFO INDUTIVO

O parágrafo indutivo é aquele que vai das PARTES para o TODO, ou seja, em relação às técnicas de redação, é aquele que inicia com os Argumentos (ideias secundárias) e termina com a revelação do Tema e da Tese. É uma forma mais criativa e arrojada. Causa apreensão e curiosidade em quem lê.

Um exemplo de parágrafo indutivo é:

                  A falta de investimento na construção de aterros, aliado ao consumo infrene e a escassez da reciclagem são os fatores preponderantes para o problema do lixo mundial, tema que não sairá da pauta da modernidade, visto que a população ainda não sabe lidar com os detritos.

Outro:

          A falta de investimento na construção de aterros, aliado ao consumo infrene e a escassez da reciclagem. São esses os fatores preponderantes para o problema do lixo mundial, tema que não sairá da pauta da modernidade, visto que a população ainda não sabe lidar com os detritos.

sábado, 18 de fevereiro de 2017

PARÁGRAFO ABDUTIVO

COMO ELABORAR UM PARÁGRAFO ABDUTIVO

Ainda dentro das possibilidades de se construir parágrafos dissertativos, um em especial merece grande destaque: a abdução. E o que é abdução? É o parágrafo que trabalha com ideias hipotéticas, ou seja, o parágrafo abdutivo é aquele que utiliza o processo da cognição para formar hipóteses explicativas. 

Convém ressaltar, porém, que ao desenvolver o texto o redator deve ir se direcionando para uma proposta concreta no final, isto é, na conclusão a hipótese deve dar lugar à tese (provando) ou à antítese (contra-argumentando, negando) aquela ideia inicial.

Observação: o parágrafo abdutivo pode ser feito com pergunta ou de forma afirmativa. O que importa é que gere alguma concepção ainda não comprovada, uma possibilidade, uma hipótese.

Alguns exemplos de parágrafos abdutivos:

Ainda paira no ar muitas dúvidas se o homem e o lixo serão, algum dia, conciliáveis. A falta de investimento na construção de aterros, aliado ao consumo infrene e a escassez da reciclagem talvez sejam fatores causais para esse mal da modernidade.

Outro exemplo, agora sem a presença de argumentos:

Ainda paira no ar muitas dúvidas se o homem e o lixo serão, algum dia, conciliáveis. Talvez esse seja o maior mal da civilização capitalista moderna, cuja solução depende do engajamento de todos os setores da sociedade. Algo que está – quem sabe – bem improvável de acontecer?

TERMOS TÍPICOS DE HIPÓTESES:

- Se.../ao menos que.../desde que.../caso...
- Será que...?
- Quem sabe...?
- Pode ser que...
- Talvez...
- É difícil saber...
- Algumas dúvidas...
- É difícil afirmar...
- Há várias possibilidades...
Etc.

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

UAU! MIL DUAS VEZES...

Cearense tira mil na redação do Enem pela 2ª vez e dá recado: "tem de treinar"

Ana Carla Bermúdez
Do UOL, em São Paulo
 Ouvir texto
 
0:00
 Imprimir Comunicar erro
  • Arquivo pessoal
    "A busca por referências é o diferencial", conta Carlos Felipe
    "A busca por referências é o diferencial", conta Carlos Felipe
O estudante cearense Carlos Felipe Bezerra Barros, 19, comemora de novo um resultado de destaque: este é o segundo ano consecutivo em que ele alcança a nota máxima na redação do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio). "A princípio, não acreditei. Fiquei entrando e saindo diversas vezes da página do participante", diz ele. 
Apenas 77 candidatos conseguiram a nota mil na redação do Enem 2016. Na edição 2015 do exame, 104 inscritos alcançaram a nota máxima.
Com a nota que obteve no Enem 2015, Carlos chegou a ser aprovado em cursos de engenharia. Mesmo assim, ele optou por fazer o exame mais uma vez, em busca de uma vaga nos cursos que ele "realmente almeja": medicina ou direito. "Eu ficaria feliz estando em qualquer um dos dois cursos", afirma.

Treinar, treinar, treinar

Para Carlos, quem procura conquistar uma boa nota na redação do Enem deve, antes de tudo, saber que o treino é fundamental. "Redação é como todas as outras matérias: tem que treinar", diz.

Aluno do Sistema Ari de Sá, Carlos treinava em casa e no cursinho diferentes temas de redação. "Além de fazer no mínimo de uma a duas redações por semana, eu ia diversificando os temas. Se em uma semana eu buscava um tema de eixo social, em outra procurava temas sobre meio ambiente, sobre política ou até sobre algo científico", explica o jovem.

Além disso, ele conta que estava sempre atento aos noticiários e procurava encontrar referências históricas e filosóficas que se encaixassem aos temas que treinou no decorrer do ano.
"A busca por referências é o diferencial. Ao longo do ano, eu anotava citações e obras para tentar encaixar em variados temas. Nas duas redações [em que tirou nota mil] eu incluí citações de filosofia, por exemplo", destaca.
Ele ressalta, no entanto, que é preciso ter cuidado para não cair em uma armadilha: "tem que ter uma escrita clara, concisa. Nada de querer enfeitar demais, deixar a escrita muito erudita, porque isso acaba prejudicando o texto".
Esse equilíbrio, segundo ele, deve ser mantido também na organização da estrutura do texto. "Tem que saber encaixar todas as estruturas: a introdução, a temática, o desenvolvimento, a problematização. Sempre puxando os argumentos e buscando solucionar de maneira clara, simples".
Para Carlos, todos esses detalhes, somados, foram determinantes para que ele chegasse à nota mil na redação pela segunda vez.
"Assim, quando chega no fim do ano, na hora de fazer a prova, mesmo sem saber o tema, acaba sendo mais fácil, porque você já tem as palavras, conhece o modo de fazer e a estrutura", explica.

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

APRENDA A SER NOTA MIL!

19/01/2017 18h55 - Atualizado em 19/01/2017 19h30

Estudante nota mil na redação do Enem diz que fez 82 textos em 2016

Laryssa Cavalcanti tinha meta de escrever 80 redações para treinar escrita.
Ela vai tentar cursar Direito na Universidade Federal de Alagoas (Ufal).

Do G1 AL
Laryssa Cavalcanti tirou 1000 na redação do Enem (Foto: Laryssa Cavalcanti/Arquivo Pessoal)Laryssa Cavalcanti tirou 1000 na redação do Enem (Foto: Laryssa Cavalcanti/Arquivo Pessoal)
A estudante Laryssa Cavalcanti, de Maceió, foi uma dos que conseguiram nota máxima na redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2016. Ela conta que estabeleceu metas para conseguir a aprovação e escreveu 82 redações ao longo do ano para treinar a escrita.
Laryssa tem 17 anos e, em entrevista ao G1, conta que adora escrever, mas que precisava melhorar o tipo de escrita para se adequar às competências exigidas pelo exame. As notas foram divulgadas na última quarta (18).
“Sempre gostei muito de escrever, mas escrevia de uma maneira muito rebuscada, de uma maneira mais subjetiva. Para me preparar para o Enem, precisei alterar como escrevia para criar textos simples e objetivos”, conta a estudante.
Esse foi o segundo Enem que ela fez. O primeiro, encarou como um teste, pois ainda estava no 2º ano do ensino médio. A nota da redação foi 840.

A estudante diz que vai se inscrever no Sistema de Seleção Unificada (Sisu) para tentar uma vaga no curso de Direito da Universidade Federal de Alagoas (Ufal).
“Durante muito tempo duvidei de qual curso ia querer seguir, mas me preparei para a prova. Eu queria garantir a nota boa, independente do que fosse cursar”, afirma.
Laryssa ainda afirmou que em todas as suas 82 redações ao longo do ano, ela escreveu apenas duas sobre o tema de intolerância religiosa.
“Achei que o tema da redação seria algo social, por isso nas últimas semanas da minha preparação selecionei várias redações sobre homofobia, racismo e outros temas com assuntos próximos. Realmente me surpreendi com o tema de intolerância religiosa, mas gostei bastante do resultado”.

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

RESULTADO DAS REDAÇÕES?

Cai número de alunos com nota mil na redação do Enem e sobe total de zero
Só 77 pessoas tiraram nota máxima na redação do Enem 2016; por outro lado, 84.236 candidatos tiveram a redação anulada.

Por G1
18/01/2017 13h50  Atualizado há 15 minutos

Diminuiu o número de alunos que conseguiram tirar a nota máxima na redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e aumentou a quantidade daqueles que tiraram zero no último ano. O acesso às notas do Enem 2016 foi liberado nesta quarta-feira (18).

ENEM: COBERTURA COMPLETA

Em 2016, só 77 participantes do exame conseguiram alcançar nota mil na redação, segundo o Ministério da Educação (MEC). O número é menor do que o registrado no ano anterior, quando 104 candidatos conseguiram nota máxima. Em 2014, foram 250 redação com notas mil.
Aumento das notas zero
Embora o MEC tenha adotado critérios diferentes de divulgação entre 2015 e 2016, os dados apontam que houve aumento no total de alunos que ficaram com nota zero. Em 2015, 53 mil participantes ficaram nesta situação.
Nesta edição, 84.236 ficaram com nota zero por causa de um dos seis motivos abaixo:

fuga ao tema

cópia de texto motivador

texto insuficiente

não atendimento ao tipo textual

parte desconectada

propostas que ferem os direitos humanos

Além disto, nesta edição, houve ainda 206.127 mil pessoas que ficaram com nota zero por causa do não comparecimento ao segundo dia de provas, ou por deixar a redação em branco.
O principal motivo para a anulação (46.874 candidatos) foi fuga ao tema. Quase 5 mil alunos tiveram seus textos desconsiderados pela banca examinadora por ferir os direitos humanos, impeditivo previsto em edital.
O MEC não divulgou detalhes sobre os motivos da anulação em 2014.
A média total dos participantes do Enem 2016 também caiu em ciências da natureza e ciências humanas e subiu em linguagens e matemática.

Média geral nas quatro áreas
Em linguagens e códigos, a nota média total foi de 520,5 pontos. No ano passado, a média foi 505,3 pontos. Em 2014, a nota foi 507,9 pontos.
Em matemática, a média foi 489,5 pontos, sendo que nos anos anteriores havia sido de 467,9 (2015) e 473,5 (2014).
Em ciências da natureza, a média caiu de 478,8 (2014) para 477,1 pontos.
Já em ciências humanas, no ano passado a nota foi 558,1 pontos. Agora, ela ficou em 533,5 pontos.

Tema da redação
O tema cobrado na última edição do Enem foi "Caminhos para combater a intolerância religiosa no Brasil". No dia da prova, em 6 de novembro, o G1 ouviu professoras de redação do Rio de Janeiro, de São Paulo e de Campinas (SP), que listaram dicas e estratégias para não perder pontos na prova de redação.
Entre elas estavam: não focar nos 'caminhos' de combate à intolerância, fazer proselitismo e não se manter neutro e ficar só na superfície do tema. Além disso, a colunista do G1, Andrea Ramal, produziu uma redação modelo sobre o tema. Nas redes sociais, internautas se dividiram entre elogios ao assunto e o apontamento da polêmica que ele pode criar entre os adeptos de diferentes credos.
Na aplicação do Enem adiado, feito nos dias 3 e 4 de dezembro, o tema da redação foi "Caminhos para combater o racismo no Brasil". Na edição do Enem aplicada para pessoas privadas de liberdade, o tema da prova de redação foi "Alternativas para a diminuição do desperdício de alimentos no Brasil".

(FONTE: http://g1.globo.com/educacao/noticia/cai-numero-de-alunos-com-nota-mil-na-redacao-do-enem-e-sobe-total-de-zero.ghtml)

terça-feira, 17 de janeiro de 2017

É AMANHÃ, HEIN?


Resultado do Enem 2016 será divulgado na quarta-feira, dia 18

Tomaz Silva/Agência Brasil
Rio de Janeiro - RJ,Brasil 06.11.2016 Estudantes chegam ao Colégio Santo Inácio, em Botafogo, zona sul da capital fluminense, para o segundo dia de provas do Enem 2016. (Foto:Tomaz Silva/Agencia Brasil)
Estudantes chegam ao Colégio Santo Inácio, em Botafogo, no Rio, para prova do Enem 2016

PUBLICIDADE
Os estudantes que participaram do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) de 2016 terão acesso ao resultado final das provas nesta quarta-feira (18). O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) decidiu antecipar a divulgação, prevista para o dia 19.
No resultado, os candidatos poderão saber quanto tiraram em cada uma das quatro provas do exame: ciências humanas, ciências da natureza, linguagens e matemática. Também terão acesso à nota da redação, cujo tema foi a intolerância religiosa no Brasil.
Também está agendada para o dia 18 uma coletiva de imprensa, na qual o Ministério da Educação deverá divulgar o calendário e regras do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), que seleciona estudantes para vagas em universidades públicas com base na nota no Enem.

TRI
A correção do Enem é feita com base na metodologia da TRI (Teoria de Resposta ao Item), que não estabelece previamente um valor fixo para cada item. O valor de cada questão varia conforme o percentual de acertos e erros dos estudantes naquele item. Assim, um item que teve grande número de acertos será considerado fácil e, por essa razão, valerá menos pontos. O estudante que acertar uma questão com alto índice de erros, por exemplo, ganhará mais pontos por aquele item.
No final do ano passado, cerca de 6 milhões de candidatos fizeram o Enem em todo o país. As notas da prova podem ser usadas para pleitear vagas no ensino superior público pelo Sisu, bolsas no ensino superior privado pelo Programa Universidade para Todos (ProUni) e para participar do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). Além disso, os candidatos com mais de 18 anos podem usar o Enem para receber a certificação do ensino médio.

(FONTE: http://www1.folha.uol.com.br/educacao/2017/01/1850355-resultado-do-enem-2016-sera-divulgado-na-quarta-feira-dia-18.shtml)

terça-feira, 10 de janeiro de 2017

QUER ESTUDAR NA EUROPA?

18 universidades de Portugal aceitam a nota do Enem


Slide 1 de 19

Estudar fora não é tão difícil quanto parece. Dezoito universidades portuguesas já aceitam estudantes brasileiros considerando a nota que obtiveram no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Veja a seguir a lista das instituições em Portugal que já recebem alunos do Brasil. (CLIQUE AQUI)

domingo, 6 de novembro de 2016

ENFIM, O TEMA...


Dentro dos temas possíveis de "intolerância e discurso de ódio", postados aqui dia 26 de outubro, mas com o viés religioso!

Sucesso, meus queridos!

sábado, 5 de novembro de 2016

TEMAS MAIS FORTES DE REDAÇÃO PARA O ENEM

TEMAS SE DESTACAM PARA O ENEM:

Na véspera da prova de redação do Enem-2016 alguns temas despontam como preferencial para a prova subjetiva do domingo. Essa constatação se baseia na prova de hoje, cuja proposta é se inter-relacionar com o todo. São eles:

  • Desastre ambiental (um ano do desastre de Mariana);
  • Crise nos recursos hídricos;
  • Bullying e limites de humor;
  • Justiça com as próprias mãos;
  • Liberdade de expressão;
  • A questão racial;
  • e o mais inusitado que se tem falado ultimamente, o ensino de Artes.
De qualquer sorte, desejo a todos uma ótima prova! Sucesso!

quarta-feira, 26 de outubro de 2016

TEMAS POSSÍVEIS PARA A REDAÇÃO DO ENEM 2016

ALGUMAS SugestÕES de Temas DISCUTIDOS EM 2016:

No final de 2015 e no primeiro semestre de 2016, muitos assuntos vieram à baila e que são interessantes como propostas de Redação do Enem ou de outros vestibulares e concursos no Brasil.

Entre eles, destaco abaixo os mais importantes e prováveis, de acordo com o histórico do Enem, de pedir temas sociais, políticos, ambientais e culturais:

·         Crise hídrica afetando a economia do Brasil;
·         Regulação da mídia;
·         Doenças epidêmicas;
·         Alimentação saudável e sustentável;
·         O jovem e o alcoolismo;
·         A intolerância e o discurso de ódio;
·         Trabalho social voluntário;
·         A corrupção generalizada;
·         Racismo no esporte;
·         Legado da Olimpíada do Rio;
·         Formação da mentalidade política;
·         Limite de humor e bulliyng;
·         Urbanismo/mobilidade urbana;
·         Conceito moderno de família;
·         Desigualdade étnica e de gênero;
·         Evasão escolar;
·         Liberdade de expressão;
·         Justiça com as próprias mãos.

Como afirmei no título, são apenas sugestões... Pode ser que caia algum, mas pode ser também que seja um grande chute fora do gol! Não sou vidente nem tenho mutreta lá com os “homens” do Inep.

O intuito é apenas de fazer o leitor deste blog estudar e ficar atento às possibilidades!

Sucesso!

domingo, 23 de outubro de 2016

E MAIS "LENDAS" SOBRE REDAÇÃO

USO DE DADOS, DATAS, CITAÇÕES DOS TEXTOS DE APOIO

Mais lendas sobre redação em concursos, vestibulares e Enem pululam na mente fértil de "serumaninhos" por aí...

Dessa vez, trata-se do uso de citações, dados, estatísticas, etc., dos textos de apoio das provas de redação. Aqueles mesmos que são usados para que o concursando leia para fazer uma espécie de pesquisa rápida e vincule-o com o tema dado.

O redator pode usar os textos a seu favor, sim! Pode e deve! Ele, ao ler os mesmos, pode se apropriar de argumentos, de números, de datas, de falas... e utilizar na sua redação! Óbvio! Eles estão lá para isso, aliás... Mas não pode esquecer de dar a autoria: ao usar, deve-se citar a fonte; se for parte do texto, devem ser usadas as aspas, para não configurar plágio!

O que concursos como Enem pedem é que não se copiem os textos de apoio ou os das provas objetivas, fazendo com que as linhas escritas sejam desconsideradas! Isso se o "espertinho" copiar na cara de pau, sem citar fonte, sem aspas, fazendo crer que é dele.

Sucesso!

sexta-feira, 7 de outubro de 2016

TEMA DE REDAÇÃO DO CFO A - BAHIA 2016


REDAÇÃO DE EXEMPLO:

A HUMANA EXISTÊNCIA!

De Aristóteles a Darwin, o homem foi celebrado como a mais excelente máquina já composta pela Natureza. Topo da cadeia evolutiva, além de albergar o polegar opositor e o tirocínio, o ser humano dispõe para si de uma interminável rede de ligações com o transcendente, com o filosófico, com os sonhos e também com o sentimento de justiça.
Thoman Mann já afirmou alhures que o homem é o lobo do homem. Por conta disso, apesar de todas as expectativas positivas, morais e éticas, conseguidas ao longo dos evos, ele, o homem, deixa-se arrastar por atavismos, preconceitos, emoções egoicas, que o fazem um predador, muitas vezes um animal irracional. Hodiernamente, assiste-se a todo instante a crueldade que é capaz, na corrupção da sociedade, nas relações supérfluas, nos vícios de caráter, na ambição desmedida - causando mal a outrem -, na vida vazia, enfim. Os noticiários abundam de espécimes desse jaez, alguns deles em cargos de alta hierarquia no plano político e coorporativo.
É preciso focar, no entanto, o lado bom desse aglomerado biológico onipotente. Ao se examinar a fundo a história da humanidade, desde o Código de Hamurabi, percebe-se o que de positivo esses seres já construíram e são capazes de realizar ainda mais. As 07 maravilhas do mundo, antigas e novas, provam isso. Mas é no campo da virtude, da honra, da honestidade que os exemplos pululam aos olhos. Anjos transvestidos de homens habitaram o planeta, nas pessoas de Francisco de Assis, Madre Teresa e um Martin Luther King, entre tantos outros. E é aí que se descobre o quanto esse ente é belo e virtuoso: quando se esquece de si mesmo para pensar no próximo.
Destarte, é preciso que o homem enxergue novos horizontes a respeito de si e daqueles que o cercam. Antes de tudo, investir em educação e cultura nunca é demais: a leitura e a arte têm que ser a porta de entrada para a transcendência humana, como bem afirmou Schopenhauer. Em seguida, valorizar o outro como um cidadão, repleto de direitos e deveres, fará grande diferença no mundo coetâneo. E, por fim, a família é o núcleo da existência, a célula-máter dos parâmetros que todos detêm para o socializar-se. Quem sabe assim o mundo alcançasse mais virtuosidades que se supõem tão distantes!

Gustavo Atallah Haun – Editor de O Blog de Redação, professor, espírita e maçom. (g_a_haun@hotmail.com)

quarta-feira, 5 de outubro de 2016

A COMPETÊNCIA 1 DA REDAÇÃO DO ENEM

I. Demonstrar domínio da norma culta da língua escrita.

Sabe aquela aula de Gramática que você filou no cursinho ou não deu a devida importância na sala de aula, porque acha que hoje o que vale é somente interpretação de texto? Pois é.

A competência I é disparada a mais difícil de todas. Espera-se que o participante do Enem escolha o registro adequado a uma situação formal, portanto culta-escrita, de produção de texto, sobre um tema qualquer da atualidade.

Na avaliação, serão considerados os fundamentos linguísticos do texto escrito, refletidos na utilização dessa variante culta, em aspectos como: sintaxe de concordância, regência e colocação; pontuação; flexão; ortografia; e adequação de registro demonstrada, no desempenho normativo, de acordo com a situação formal de produção exigida.

Por conta das “gracinhas” de 2012, lembram?, e da mídia negativa em torno de algumas redações nota mil com erros de português, essa competência está sendo cobrada de forma mais severa do que em relação aos anos passados.

A leitura de textos informativos (revistas, jornais, sites, livros, enciclopédias, etc.), a prática de redação (escrever ao menos dois textos por semana!) e a reescrita do texto corrigido, tudo isso é a porta de entrada para o seu sucesso no Enem ou em qualquer vestibular!


Abraços,

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

A COMPETÊNCIA 2 DA REDAÇÃO DO ENEM

II. Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Aqui está a competência considerada mais fácil, ou melhor, a que garantem os 200 pontos com mais tranquilidade.

O eixo central da competência II reside apenas na compreensão do tema dado na prova e que o escrevente instaura uma problemática/tese, a respeito da qual se pede um texto escrito em prosa do tipo dissertativo-argumentativo. Trocando em miúdos: basta escrever um texto que se configure como dissertativo-argumentativo, dentro do assunto aplicado pela banca examinadora!

Por meio desse tipo de texto, analisam-se, interpretam-se e relacionam-se dados, informações e conceitos amplos, tendo-se em vista a construção de uma argumentação, em defesa de um ponto de vista ou tese.

Os grandes erros aqui, obviamente, é o texto não ser do gênero solicitado (o redator inventar de fazer uma narração, uma carta, uma crônica, etc.) e fugir – parcial ou totalmente – ao tema proposto!


Dá para garantir 200 pontos fáceis! Sucesso...

terça-feira, 20 de setembro de 2016

A COMPETÊNCIA 3 DA REDAÇÃO DO ENEM

III. Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Na competência III, procura-se avaliar como o escrevente, em uma situação formal de interlocução, ou seja, a produção de um texto em linguagem culta escrita para uma banca avaliadora classificatória, seleciona, organiza, relaciona e interpreta os dados, informações e conceitos necessários para defender sua perspectiva sobre o tema proposto.
Aqui, vale o conhecimento de mundo, o conhecimento literário, filosófico, existencial, escolar, etc., para defender essa tese a respeito do assunto.
Lembra quando o seu professor ou familiar pediu inúmeras vezes para que você lesse mais, assistisse mais a noticiários, pesquisasse em sites jornalísticos? Pois é... Essa competência vai avaliar a sua capacidade de reter informações e conhecimento, em defesa do que você acredita. Claro, respeitando os direitos humanos sempre!

Caso a sua redação contenha boas informações e os seus argumentos sejam bem embasados, aprofundados, além de configurar autoria e originalidade na expressividade, com certeza uma ótima nota o espera, meu nobre estudante!